29 de setembro de 2009

Polaridade - A Cura Através das Mãos

Por Richard Gordon

Certa vez um menino se deparou com uma pequena semente em sua mão. Ele plantou a semente e ela germinou. Passadas algumas semanas, ele disse: "Olhem, aquela semente se transformou numa videira verde". Poucos dias mais tarde a videira começou a apresentar brotos graciosos. Então o menino comentou: "Ah, então esta é uma vinha verde com lindos brotos". Ele acreditou nisso até chegar o verão, quando a planta fez aparecer centenas de flores douradas, amarelas, azuis, vermelhas e laranja. "Agora eu sei o que é isto", disse o menino. "E uma vinha verde com lindos brotos produzindo muitas flores de cores brilhantes." Na estação das chuvas, porém, a vinha estava coberta de frutas de cor púrpura, de sabor esquisito.

A polaridade, para mim, é como aquela vinha: cada vez que eu a redescubro ela se torna mais maravilhosa. Descrevê-la a pessoas que nunca a vivenciaram é como descrever pedras raras a pessoas que nunca tiveram contato com elas. E como tentar descrever cores a um homem cego. Essas pessoas podem ter uma vaga idéia do que é dito, mas até que elas entrem em contato com os objetos, não compreenderão. Saber que há alguma coisa que eu posso dar, alguma coisa que flui através das minhas mãos e que ajuda outras pessoas a experimentar vida e saúde mais amplamente,tem sido uma fonte de enorme felicidade para mim. Por isso eu nunca me sinto impotente perante um amigo com dor. Olhar para trás e perceber como fiquei surpreso quando aquela pequena semente que eu plantei começou a crescer, brotar e florir tão rapidamente é notável.

Na época de colégio eu sentia que meus estudos eram muito abstratos para nutrir diretamente minha vida. Eu queria ser capaz de personalizar o que estava aprendendo e expressar o meu potencial criativo, e não simplesmente exteriorizar fatos com a finalidade de passar nos exames. Minhas intenções eram criar um estilo de vida simples e gratificante para expressar minha vida com amor e honestidade, deixar os meus medos para trás e explorar os mistérios dentro e fora de mim. Com esse objetivo deixei o colégio para cursar um estudo independente e, nestes últimos dez anos, tenho estado profundamente envolvido no movimento de crescimento pessoal. Mas meu interesse na cura natural e no equilíbrio de energia polarizada começaram somente quando eu me conscientizei completamente da minha própria saúde.

Da Califórnia mudei-me para as montanhas do México, acima da cidade de Tepoztlán. O povo dali tinha um espírito encantador, livre da velocidade neurótica e da paranóia com as quais eu tinha crescido por mais de duas décadas em Los Angeles. Durante esse tempo eu estudei ioga, nutrição, ervas, jejuns e escritos espirituais. Para complementar minha educação, fui para a Escola Christos de Cura Natural, em Taos, Novo México, e estudei com o Dr. William LeSassier, ND. Estudamos ervas medicinais e técnicas terapêuticas, tais como acupressura, reflexologia, shiatzu, massagem muscular profunda, massagem linfática e adaptações selecionadas quiropráticas, assim como métodos de relaxamento, visualização e meditação para cura. Quando nos foi apresentada a polaridade não surgiu em mim nenhuma esperança especial, já que todas aquelas diferentes técnicas eram fascinantes.

Após três dias de estudos sobre a polaridade acordei muito fraco, quando então, naquela mesma manhã, minha amiga Valerie se ofereceu para me dar uma sessão completa de polaridade. Valerie trabalhou em mim por quarenta minutos, e a polaridade transformou o meu desânimo em total bem-estar, fato que me deixou profundamente impressionado.

Aprendi, então, que o sistema de polaridade tem uma visão integral para com a saúde e para com o curar. Isto significa que a polaridade lida com o todo da pessoa: pensamentos e atitudes, necessidades de nutrição, exercícios especiais conhecidos como "ioga polarizada" e, é claro, a sessão polarizada para condicionar o corpo em sua auto cura. Devo admitir que, logo que comecei a dar sessões de polaridade, encontrei dificuldades em acreditar que, pelo simples fato de pousar minhas mãos sobre alguém, poderia ser útil a essa pessoa. Estava certo que somente uma pessoa dotada poderia curar outras com suas mãos. E apesar do meu ceticismo, que durou mais de ano, efetivamente obtive bons resultados.

Uma semana após completar a sessão geral de treinamento de polaridade, encontrei uma mulher com uma forte dor, que o médico diagnosticara como resultante de gravidez tubária. Então disse a ela que eu acabara de aprender um método chamado polaridade, que poderia ajudá-la a relaxar. "Qualquer coisa", ela respondeu. "Eu tentarei qualquer coisa!" Meia hora mais tarde ela dizia: "Eu não posso acreditar que estas sejam as minhas mãos! Eu não posso acreditar que estes sejam meus pés! Eu me sinto maravilhosa!"

Naquela mesma semana assisti a demonstrações do Dr. LeSassier sobre tratamentos no pescoço. Porém, o tratamento não estava podendo ser feito numa mulher, já que ela tinha muita tensão no pescoço. Nessas condições um tratamento completo requereria algumas semanas de massagem profunda. O pescoço dela doía após a demonstração, e por isso apliquei-lhe polaridade. Quinze minutos mais tarde chamei o Dr. LeSassier. Ele confirmou que os ossos do pescoço tinham voltado ao lugar e perguntou-me o que eu havia feito. "Eu apliquei a polaridade", disse. Desde então tenho testemunhado muitos exemplos onde ossos deslocados voltaram literalmente após uma sessão de polaridade.

Certa vez uma mulher veio a uma aula que eu estava começando. Ela disse que, apesar da assistência médica competente recebida nos últimos quinze anos, sua condição física progressivamente tinha se tornado pior. Ela estava desesperada por uma ajuda. Depois de dar ao grupo uma breve introdução sobre polaridade, selecionei cinco dos novos estudantes e formamos um círculo de polaridade em volta da mulher. Ao terminarmos, sua aparência era de ter remoçado dez anos. Sua face estava relaxada. Suas mãos pararam de tremer. Então, ela nos disse que nos últimos trinta anos não havia sentido tal paz, tal calma. Pela primeira vez, que se lembrasse, estava podendo deitar de costas sem pôr os joelhos para cima, no ar. E ela havia transpirado, sem o uso de remédios, pela primeira vez desde a infância. Uma semana mais tarde ela voltou para contar que um exame com raios X revelara que depois da sessão de polaridade metade da curva dupla em S, que ela tinha na espinha, tinha se corrigido.

Muitas vezes eu ficava surpreso e impressionado pela eficiência do método de polaridade. Uma mulher que estava com a menstruação atrasada em três semanas tinha o diagnóstico de infecção uterina. Comecei a aplicar-lhe polaridade e, enquanto trabalhava nos seus pés, quatro crianças quiseram me ajudar. Coloquei-as, então, nas várias posições do círculo de polaridade. Vinte minutos mais tarde sua menstruação começou, e ela se levantou muito aliviada. E contou que cada vez que uma das crianças a tocava ela sentia uma onda de luz dourada fluindo pelo seu corpo.

Durante uma palestra, eu estava fazendo demonstrações do movimento do ventre numa senhora de meia-idade. Quando parei o movimento senti uma energia enorme movendo-se através das minhas mãos. Então perguntei-lhe se ela sentira um formigamento no corpo. "Não", foi sua resposta. Porém, como a polaridade pode ser muito imprevisível mas sempre faz alguma coisa, perguntei se havia alguma parte do seu corpo onde ela sentia energia. "Sim", ela disse, "estou sentindo um formigamento em minhas mãos". "Há alguma razão pela qual suas mãos precisem de energia?", perguntei-lhe. Ela sacudiu a cabeça negativamente. Dez minutos mais tarde ela interrompeu a minha fala excitadamente para exclamar: "A dor da artrite em minhas mãos sumiu!" E ela não mencionara essa dor quando lhe perguntei, de tão acostumada que estava.

Com espanto, aprendi que a polaridade pode ser boa também para transtornos emocionais. Um exemplo extremo foi o de um homem que tomara LSD e começara a se sentir como um total fracasso na sua vida. Ele estava profundamente confuso e próximo da histeria. Depois de uma pequena polaridade, ele se sentou e disse que estava se sentindo muito melhor. "Eu estava exagerando a proporção das coisas", ele comentou. A polaridade o relaxou e o centrou, tirando a sua mente das fantasias mórbidas nas quais estava, sob a influência daquele poderoso alucinógeno.

Em outra ocasião em testemunhei o fato de um simples movimento de polaridade, o movimento do ventre, fazer maravilhas numa criança hiperativa, quando usado diariamente. Toda manhã, mais ou menos à mesma hora, esse menino perdia todo o controle a ponto de a terapeuta descrever o seu comportamento como histérico. Então ensinei à terapeuta o movimento do ventre: primeiro teria que agarrar o menino e forçá-lo a se deitar para que ela pudesse fazer o movimento. Após alguns minutos de polaridade o menino dormia profundamente por uma ou duas horas. Depois de acordar, ele estava relaxado e apto para se relacionar normalmente com outras crianças. Algumas vezes ele até se desculpava com os outros por seu comportamento rude. A terapeuta ficou tão impressionada que ensinou para a mãe do menino o uso do movimento do ventre com resultados gratificantes.

Os efeitos da polaridade, porém, nem sempre são instantâneos, ou tão radicais. Pessoas com condições crônicas muitas vezes precisam de uma série de sessões em conjunto com uma dieta aperfeiçoada, exercícios e, o mais importante, atitudes e emoções positivas. Algumas vezes uma pessoa pode sentir-se pior temporariamente antes de sentir uma melhora. Outras vezes pode aparentar não ter sido ajudada de maneira alguma.

Um de meus vizinhos foi um ótimo exemplo disso. Um dia ele deu um mau jeito nas costas ao fazer exercícios. A dor foi tão grande que ele não podia se virar. Então, dei-lhe uma completa sessão de polaridade, mas que acabou sem ele sentir alívio. Um pouco inquieto, entrei em contato com uma das minhas professoras e contei o ocorrido. "Oh, eu não te falei?", ela riu. "Leva mais ou menos vinte e quatro horas para a polaridade fazer efeito nas costas." E na manhã seguinte meu vizinho estava em frente de sua casa, cortando lenha.

O que eu contei aqui é apenas um pequeno resumo das muitas experiências que tive. Cada vez mais os efeitos da polaridade superavam as minhas expectativas, aumentando assim a minha confiança nela. Agora reconheço que todos nós temos o poder de assistência na cura não através de magia, mas através de uma simples ciência ampliada pelo nosso amor.

Fonte:
http://books.google.com/books?id=LrzJtG5AY5MC&lpg=PA12

- Veja também:
Formas Básicas de Preparo das Plantas Medicinais
Parto Ecológico, uma realidade possível

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...